BLOG
|
08.11.2016

Euroclasse, fumo e gotejamento: classificação de fogo dos produtos de isolamento técnico em detalhe

Hotel, centro comercial ou aeroporto – se houver incêndio, tudo depende de respostas rápidas e a tomada de medidas certas no momento certo.

TREPPENHAUS_FLUCHTWEG_PT

 O fogo propaga-se rapidamente, gera calor considerável e há frequentemente pouco tempo disponível até que as escapatórias fiquem cortadas. E, no entanto, raramente são as queimaduras a fazer vítimas. É o fumo. Este torna as saídas e escapatórias de emergência irreconhecíveis e pode causar intoxicações potencialmente fatais. Em termos puramente estatísticos, das 10.000 mortes relacionadas com o fogo na Europa, cerca de 80 por cento das vítimas não perecem diretamente pela ação das chamas ou do calor, mas sim como resultado do fumo gerado.

Relativamente aos materiais de construção, utilizados nos edifícios, isto significa que além de resistentes ao fogo, devem produzir o menor fumo possível em caso de incêndio. Como responsáveis pela seleção e combinação dos materiais de construção utilizados, os projetistas e instaladores assumem uma considerável responsabilidade a este respeito. Mas como se comportam os materiais de construção em caso de incêndio – e como podem os projetistas responsáveis assegurar ser possível, aos que se encontram num edifício em chamas, dependerem do seu conceito de proteção contra fogo numa emergência?

Classificação de fogo Europeia

O comportamento ao fogo de produtos de isolamento técnico, é claramente definido e identificado conforme as classificações de fogo europeias da DIN EN 13501. Durante muito tempo, os produtos de isolamento técnico eram avaliados primariamente de acordo com a sua retardação de chama. Desde 2012, a nova classificação europeia, contemplando um espetro mais amplo de classes e combinações, fornece uma avaliação mais realista no comportamento ao fogo dos vários produtos – o que aumentou o nível de segurança durante a fase de projeto. Leva também em conta, portanto, os efeitos secundários de incêndios, tais como, emissão de fumo e gotejamento ou partículas incendiadas, dividindo estes em classes também.

kaimann_brandnorm_flyer

B, C, D, E, F, s, d – o que é que estas significam?

Os produtos de isolamento são, inicialmente, classificados de acordo com as cinco classes de fogo: B a F, da mesma forma que outros materiais de construção. B significa “retardante de chama”, E é “flamabilidade normal” e F para “facilmente inflamável”, i.e. pode significar oxidação. A formação de fumo é mais um critério. Este é classificado de acordo com a avaliação “s” (smoke) e estende-se de s1 (Baixo desenvolvimento de fumo) até s3 (Desenvolvimento de fumo ilimitado). Um terceiro indicador de contribuição de construção e, portanto, que os produtos de isolamento fazem à proteção de incêndio é o dos “gotejamentos flamejantes” (d = droplets), que vão de d0 (nenhumas gotas/partículas) até d2 (gotas flamejantes).

 kaiflex_kkplus_s1_s2_500

Projetando para segurança com Kaimann

Como desenvolvedor de tecnologias modernas na área de isolamentos elastoméricos, a Kaimann esforça-se por disponibilizar, a instaladores, projetistas e comerciantes, soluções completas e inteligentes. Por isso os nossos novos sistemas de isolamento estão em conformidade com a s1 e s2, as classes de fumo europeias com as mais elevadas exigências, permitindo a projetistas e instaladores permanecer no lado seguro.

Por exemplo, o nosso sistema de isolamento Kaiflex KKplus é a escolha ideal para o isolamento técnico de edifícios, combinando proteção fiável contra incêndios e maior eficiência energética. É particularmente adequado para uso em edifícios públicos movimentados, comercias e residenciais, onde se torna fundamental manter os caminhos de emergência isentos de fumo em caso de incêndio. Na qualidade de material isolante resistente ao fogo, Kaiflex KKplus s1, como sistema completo, está de acordo com a classe de fumo europeia s1 – incluindo os acessórios. Ao reduzir o desenvolvimento de fumo, Kaiflex KKplus s2 contribui significativamente para a proteção das pessoas: As escapatórias de emergência mantêm-se visíveis e o perigo de asfixia e intoxicação são reduzidos.